Na manhã desse sábado (4), a família de Francisco Barrada recebeu uma visita inesperada e que chamou a atenção dos moradores do município de Nazária. Uma jiboia de aproximadamente dois metros de comprimento foi encontrada no telhado da residência da tia de Francisco, que fica situada nas margens da PI-130. A Polícia Ambiental foi acionada e um policial do batalhão informou que não poderia atender a ocorrência por falta de combustível na viatura. Porém, a Diretoria de Comunicação Social da PM do Piauí alegou que a informação não procede.

Francisco Barrada explicou que tentou entrar em contato com a polícia desde às 8h, mas não conseguiu. Horas depois, um policial do batalhão retornou a ligação e informou que não teria combustível suficiente para se deslocar até o local.

G1 teve acesso à uma gravação da ligação entre o policial e o morador. Por telefone, o policial explica que não poderá ir até Nazária por um “problema na questão do combustível”, diz a Francisco que a cobra, por ser uma jiboia, não representaria risco e aconselha que ele peça ajuda para alguém da região para expulsar a cobra de casa.

“Nós temos várias ocorrências para atender e estamos com problema na questão do combustível, porque a cota não está sendo liberada, então estamos atendendo ocorrências só na região de Teresina. Se o senhor tiver alguém para tirar a cobra ou retornar amanhã, porque não temos combustível suficiente”, contou o policial para Francisco por telefone.

Após a polícia informar que não poderia atender a ocorrência, o animal só foi retirado por volta de 16h30, ou seja, mais de oito horas depois do aparecimento da jiboia na casa. Francisco ainda contou que foi a primeira vez que os moradores da região haviam encontrado um animal desse porte.

“Faz uns dez anos que moramos na região e nunca tínhamos visto uma cobra desse porte. O animal só foi retirado por volta de 16h30”, afirmou.

A cobra foi retirada do telhado por um caçador da região e colocava novamente em seu habitat. “Um caçador tirou a cobra utilizando dois paus de madeira. Em seguida, ele a colocou em um saco. Nós ficamos com pena de matar”, comentou o morador.

Procurado pelo G1, o comando do Batalhão de Policiamento Ambiental afirmou que a informação repassada pelo policial de que a viatura não possui combustível é falsa, e que está apurando o caso. O comando ainda pontuou que será aberto um procedimento administrativo.

G1 PI